2008/07/14

Micah P. Hinson

Dorido Romance

O passado negro e quase sempre auto-destrutivo de Micah P. Hinson, deverá ser certamente uma das principais razões, para tão intensas desilusões, para tanto desengano, para um tão vasto universo de desapontamento. O romantismo de Hinson é arrastado e desgraçado, é doloroso, cruel e atroz. Todas as suas canções são hinos à lastima e ao sentimento mais penoso, musica criada após intensas feridas lhe terem dilacerado o coração.
Tell Me It Ain't So” surge na névoa como uma liturgia publica, um pedido de ajuda, a tentativa de ainda poder ser socorrido. Um violino e uma guitarra pode ser os melhores amigos, desde que combinados da forma correcta, “Sunrise Over The Olympus Mons” é a melhor descrição disso, os ecos sem fim da guitarra, contrastam na perfeição com a plenitude do violino, a sonolenta voz de Micah faz o resto. A simplicidade de “The Fire Came Up To My Knees” não é mais uma do que uma prova real, de que é possível criar canções sem grandes mordomias, basta um curto dedilhado de guitarra, uma voz potente e meia dúzia de palavras sentidas. “You Will Find Me” é fortemente cinematográfico, poderia muito bem viver dentro de um qualquer filme do Tarantino, tem um ritmo muito próprio, uma intro à anos 60, para depois andar enrolada em permanentes crescendos, pondo um pé no mais cru do folk e ao mesmo tempo nunca abandonar o espírito californiano.
…And The Red Empire Orchestra é puro folk de perfil rural, por onde se espraia a musica de Micah, é uma maquina de criação e transmissão de sentimentos, foi-lhe dando uma mordaz carapaça, onde ele agarrado á paixão e à dor de alma, vai gritando poemas de amor.

Momento Mágico: We Won't Have To Be Lonesome


Micah P. Hinson – “… And The Red Empire Orchestra” (2008) - Full Time Hobby

1 comentário:

flabbergast disse...

É um belo de um disco sim senhor. Rodou com insistência até me aperceber que estava a enlutar com mais força dado o eco sonoro. Mudei para a boa onda Herbaliser e Wagon Cookkin, senão era o descalabro :p
Agora a sério: é um disco muito bom, mas tal como Bon Iver (embora este seja infinitamente maior) é pouco recomendável a espíritos em fase de luto.